sábado, 30 de junho de 2018

Suporte para rolo de solda

Um item que muitos vão torcer o nariz, sempre pensarão em comprar, alegando é muito caro para o que se propõe, enfim; me custou uns R$5.00 cada um abaixo e o resultado é muito satisfatório, e fim do rolo de solda passeando pela bancada a fora.


Os planos de corte da chapa de fibra podem ser baixado Tamanho padrão em PDF, ou o tamanho grande mais recente dos rolos de solda da marca BEST Tamanho grande.
Sobre o 4Share, é de graça a hospedagem do arquivo, então...
Para melhor visualizar as imagens clique nela para aumentar ou abrir em nova janela.


Basta imprimir em 100% e colocar sobre a chapa de fibra, muitos me perguntaram sobre a colo da 3M, fui atrás de uma solução mais custo benefício, e a colo bastão me surpreendeu, em dois aspecto dela, deve-se aplicar a cola na chapa e depois posicionar o papel sobre a cola, pressionar e aguardar alguns minutos até secar, a segunda vantagem é que é lavável, ou seja, basta colocar as peças depois de lixadas em água morna com detergente e solta na maior facilidades, o restante e verificar as medidas, uma lixadinha aqui e outra ali.


Os discos que serão utilizados no furo do carretel, foram "torneados" presos por parafuso M3 e com um lixa grão 80 de ferro, até terem o diâmetro desejado, no caso atenção ao disco que vai ao interior, deve ter a medida exata; são montados um sobre o outro, os furos devem ser feitos nas peças antes de remover o papel gabarito, eles nos guiaram a posicionar as peças, etc, soldado a porca a qual vai segurar as duas peças, ou três conforme o carretel, a cabeça do parafuso é que encaixa no vão da placa interna, a qual deverá ter espaço suficiente para girar livre, a soldagem da peça interna fica parecendo um rebite, guie-se pelos furos das chapas laterais.


A soldagem deverá ser feita em angulo reto, comesse por apenas dois pontos de solda, não muito próximo as laterais ou aonde será sobreposta outras chapas. Aqui foi já inserido os pés de borracha e outros que seriam complicados de serem soldados posteriormente, não se preocupem em fechar todos os vãos com solda, alinhe primeiro o que der para ser fixado sem que atrapalhe a soldagem depois.


A potência do soldador é da ordem de 40W para cima, com ponta grossa, as chapas dissipam muito o calor e uma potência baixa, será complicado unir uma chapa a outra. Teste o encaixe do suporte do carretel, caso fique segurando, solte os parafuso dos espaçadores e lixe a cabeça do parafuso, basta prender a micro retifica e com uma lixa ou lima desbastar a ponto que caixa no vão do encaixe e gire livremente.


Até aqui nada demais, podem ser feitos reparos e ou soldados outros adereços as chapas, nesse ponto toda a estrutura da caixa já esta muito firme e caso precise soltar uma chapa da outra, somente com o auxílio de um soprador térmico ou estação de ar quente.


O segundo suporte é para o carretel de tamanho padrão, alguns milímetros menor que o da solda Best, aqui já esta funcional, é colocar na bancada e usar.


Bem prático e rápido de se montar, deu mais trabalho em desenhar as partes do que executar o corte e montagem das placas. Sobre o acabamento, desta vez utilizei um prime para metais a base de água da CORFIX, é comum e se encontra em qualquer papelaria, é uma base de pintura, seca rápido ao toque e cura final em 3 dias para pintar sobre ela, vou deixar assim, pois já muito bom o resultado.


Por fim é colocar alguma identificação e ou personalizar a gosto, criei uma etiqueta simples com as informações do fio de solda, impresso invertido sobre transparência laser e colado com cola bastão.


Complicado fazer com uma mão só mais, dá para ver melhor o resultado dos suportes.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Luz para estação de trabalho DREMEL

Não é novidade, até existem prontos para comprar, já vinha a algum tempo utilizando a placa de metal de lâmpadas LED de 6W, com uns 5 LEDs, porém a praticidade de adaptar, gerou alguns problemas; aquecimento demasiado, desconforto pela luz muito forte, não é isolada da rede elétrica,  e vira e mexe queima um dos leds e é um trabalhão solda rum novo led na chapa de alumínio, até que;


Encontrei uma solução e bem simples, diga-se de passagem, o desenho da PCI pode ser baixada AQUI, a placa mede 30mm, de corpo, e furo central de 12mm, é praticamente do diâmetro da porca de plástico que segura a DREMEL na estação de trabalho, fixada com super cola (ciano-acrilato) não estraga o plástico do suporte da estação, usei um conector KK de dois pinos para possibilitar alimentar a placa com outra fonte de alimentação, vai que queima na hora do trabalho.


 Pela quantidade de queima das placas da lâmpadas LED, montei logo 4 unidades para minhas estações, se pifar, já tenho uma pronta para substituir, além do mais, também servem como luminárias, a intensidade, ficou boa e confortável, não ficando aquele ponto escuro na visão se observado por muito tempo. 

A vantagem da placa é que cada led esta em paralelo aos demais, são 16 LEDs ao todo, utilizei SMDs do tamanho de 0603, mas a placa aceita o tradicional 0805 sem problemas, o consumo ficou da ordem de quase 7,8mA por LED, totalizando 125mA de consumo, qualquer fontezinha de modem ADSL ou carregador de celular, servirá e sobra corrente.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Caixa FR4 140x 140x 40mm com fonte de notebook.

Nesta montagem será abordado a montagem da caixa feita de fibra, o kit de fonte ajustável e o uso da fonte de notebook de 19V por 3A. O kit da placa pode ser adquirido AQUI ou no Mercado livre.


O PDF com o plano de corte da placa da caixa e o desenho do painel, pode ser baixado AQUI, basta colar sobre a placa e cortar pelo gabarito, lixar, conferir as medidas e começar a montagem, utilize, ferro de solda de pelo menos 40W ou mais.


Ao imprimir os planos de corte certifique-se de que está ajustado para o tamanho 100%, após cortar e dar acabamento, faça corte e furos, use esquadros e presilhas para auxiliar na soldagem em 90º.


Neste projeto foi escolhido o formato em que houvesse apenas uma tampa, nesse caso será o fundo da caixa e tudo deverá ser preso de cabeça para baixo, esse modelo permite maior acesso ao que se vai colocar dentro da caixa, assim como soldar as porcas de latão nas paredes da caixa internamente. 


Deve-se tomar cuidado ao manusear a caixa, para evitar riscos e ou quebras das quinas, mas se for pintar, basta utilizar lixas de 600 a 1200, no meu caso achei muito bom a cor da fibra de vidro, isso me poupa a pintura e possíveis riscos podem ser amenizados com cera de polir e ou até mesmo silicone líquido, mas isso fica a gosto de cada um.


A placa da fonte ajustável, é a de controle de corrente e tensão, utilizo os CIs em SMD porque são o que mais tenho na gaveta, o kit original o CI é DIP08, nesse caso não será montado a parte reificadora.


O capacitor de filtro também será reduzido para 470uF por 25V, já que teremos a tensão filtrada e regulada da fonte do notebook, (fonte do notebook Inspiron 15) e demais resistores e componentes do circuito da fonte.


O transistores reguladores, são montado por baixo da placa, os terminais foram dobrados em forma de !_! isso possibilita mover os transistores para os lados de acordo com furos feitos no dissipador, ao lado a montagem do voltímetro com ICl-7107, a ligação dos Display foram feitas com fio esmaltado 32 AWG, isso possibilitou economizar espaço dentro da caixa e no estreito painel.


O gabarito original era para Display de 056", mas utilizei os de 32", também foi possível fechar o vão, feito com tiras de placas de fibra, soldadas por dentro da caixa, ao lado, foto da fixação das porcas de latão, aonde serão parafusadas as placas.


A tampa (fundo) com reforço lateral e as porcas que fecham a caixa pela lateral, também foi feito os furos dos pés de borracha, ao lado é mostrado que nem sempre é possível pensar em tudo, assim é sempre bom ir prevendo o que será soldado e ou fixado dentro da caixa.


Com citado em uma postagem anterior, o painel pode ser feito através de uma folha de transparência laser ou jato de tinta, deve ser impresso invertido, para que a tinta fique do lado que será colada a caixa, após colado, é só virar a caixa e cortar rente, com um estilete, aqui utilizei cola em spray da 3M código 77, já que tem boa fixação e é neutra, não borra o toner e nem a tinta da impressora.


Tudo em seu lugar, hora de fechar e está pronta para uso, na lateral foi feito um furo de acesso ao trimpot de ajuste de fundo de escala do voltímetro.


Muito compacto e prático o manuseio ideal para locais de pouco espaço, a dissipação é baixa, a única coisa que ficou a desejar, foi o uso de 4 dígitos no voltímetro, já que foi utilizado um ICL-7107 da whingshing, nesse caso a flutuação neste ultimo digito da dezena é terrível mas não afeta a leitura da tensão, sobre o aquecimento é bem baixo, já que essa fonte de nootebook, tem boa qualidade.


Vídeo do funcionamento com cooler de processador.



Fica ai a ideia para quem precisa montar uma fonte ajustável a partir de uma fonte de tensão DC.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Gabinete, caixa, box, enclosure de FR4, para suas montagens de kits eletrônicos

Confesso que sempre vi postagens a respeito, mas por mera preguiça ou medo, nunca tentei, talvez porque você vê um baita de um trabalho, e pensa que não conseguirá fazer algo parecido e com mesma qualidade, mas digo que, se tentar terá uma surpresa. O arquivo gabarito em PDF da caixa abaixo pode se baixada AQUI. Medidas  CXL 17x 8,5x 8cm.


Exemplo de como deixo já separadas as partes que vão compor a caixa, isso facilita na hora de corrigir o esquadro, note que na imagem acima, tenho as laterais da caixa, essas duas peças quase me fizeram desistir de fazer uma das caixas, pois na hora de encaixar ficam com medidas diferentes e não encaixou perfeitamente. 


Mas dias depois resolvi encarar novamente, deixando de lado as laterais, isso devido que todas as peças são soldadas, tendo a frete como acabamento e para esconder as laterais das outras partes, a chapa é de fibra de vidro FR4, face única, gasta-se duas chapas de 30x 20cm. Cola-se a folha do gabarito sobre a placa, do lado sem cobre com cola permanente, ou outra que segure bem a folha, depois remova com Thinner a cola, em seguida, separe grosseiramente as partes deixando um milimetro para que acerte na lixa o tamanho correto.


Parece difícil, mas não é, o segredo é usar um apoio com um angulo de 90º e correr a tira de placa sobre a lixa, até chegar a encostar na linha do gabarito, lixe devagar e mantenha a placa em 90º isso é primordial a qualidade final, e também na hora de soldar uma placa a outra, deve-se ter um guia e ou algo que apoie as placas em angulo reto. 


Mantenha o papel colado, isso evita arranhar a placa, faça a maior parte de furos e recortes nas peças antes de montar a caixa, isso facilita muito, inclusive ir prendendo partes excrescenciais e outros que seriam mais complicado de fazer com a caixa completa.


Notem que o pedacinho da placa na vertical é de dupla face, o que se pode soldar dos dois lados, isso é um ponto positivo de ser usar dupla face, além de ficar mais firme, uma vez alinhado em angulo reto, não corre o risco de ficar fora de esquadro, porém dupla face é mais cara. 


Removi o papel e limpei a cola, como montei sobre uma manta de borracha, não risca a resina da placa, mas aconselho quem for montar sobre uma superfície com impurezas, retirar o papel por ultimo, notem na imagem a direita, peças que depende de outras, mesmo alinhando e soldando, tendem a inclinar para o lado que foi soldada, já que o outro lado não tem como soldar, mas isso pode ser amenizado, soldando apenas dois pontos ao longo das uniões das placas.


Com isso é possível forçar um pouco a placa para que ela fique alinhada e em angulo reto até que a próxima peça possa ser fixada, aqui lembro que a soldagem deve ser feita com ferro de solda de uns 50W e ponta grossa, pois a face cobreada rouba muita temperatura do soldador na hora de correr a solda.


Após estarem no lugar é hora de ir correndo a solda nas juntas, sempre verificando se está alinhado e se não há nenhum vão, pois depois de soldadas corrigir fica inviável, ai só aquecendo com soprador térmico e desmontado toda a parte torta da caixa.


Uma dica valiosa, faça uma caixa maior, como na foto acima, notem que foi preciso recortar um pecado da tira lateral e colocar o transformador antes de fixar as laterais do topo da caixa, é muito ruim fazer toda a manobra com um baita peso dentro da caixa, e as essas tiras de 1 cm, são a cereja do bolo, são elas que dão resistência as demais faces da caixa e nelas podem ser soldadas as porcas de latão a quais serão utilizadas para segurar as tampas


Após a caixa montada é ir colocando os adereços que completarão o equipamento, tudo isso foi pensado e planejado antecipadamente, o que ajudou muito no resultado final.


O acabamento dos recortes internos, furos e correções, foram feito com limas e lixas, isso mesmo um joguinho de limas de 10 reais Chingling, três folhas de lixas d'água e uma lixa de unha, a resina da placa de fibra é muito maleável, e os abrasivos dão conta, basta fazer com calma e em uma superfície plana, tenho um tampo plano de mármore aonde apoiei as lixas, faz um pouco de pó, mas é suportável, basta como citei anteriormente, fazer aos poucos, um dia você corta os pedaços com a serrinha, no outro lixa uma pouquinho e assim por diante até chegar ao resultado abaixo.


As marcações do painel foram feitas com silk-screen, mas podem ser feitas com transparecia, basta imprimir invertido e colar com cola em spray da 3M código 77, ou até mesmo do modo mais simples, imprimindo em papel adesivo, colar papel Contact transparente por cima, criando um adesivo protegido e colar no painel.


Os parafusos são de náilon, mas era o que tinha no momento, esses parafuso M3 não duram nada na gaveta, quando se precisa deles, não tem um, aí me virei com estes, os pés de borracha, caso não queira fazer furos de 7 mm, usem aqueles pés de silicone adesivos, funciona do mesmo jeito que estes, e o acabamento dos fios se fazem com presilhas de náilon. Enfim no vídeo dá para se ter uma ideia de como fica a resistência da caixa.


Abraço e até a próxima postagem.